10 anos de escola integrada: avaliações e desafios

 

destaques-hor-sugestoes-seminario

Gente Boa,

Em princípio, agradeço a todos os participantes do Seminário “10 anos da Escola Integrada: avaliação e desafios”, que coordenei na Câmara Municipal, nos dias 11 e 12 de novembro. Se o programa é exitoso por estender o tempo e as oportunidades de aprendizagem para crianças e adolescentes do ensino fundamental em BH, é decorrência do empenho e do compromisso diário de cada um dos atores envolvidos no processo. 

Mas não podemos nos acomodar. Apesar de a experiência revelar resultados evidentes na transformação e no regate de cidadania dos estudantes, bem como possibilitar uma pedagogia mais ampla e diversificada, é fundamental continuarmos a avançar por meio de aprimoramentos. Para tanto, apresento 13 sugestões, que constituem o primeiro passo neste sentido, fruto do seminário.

 

1 – Maior aproximação entre os profissionais das disciplinas regulares e das oficinas da Integrada, através de um planejamento, execução e avaliação conjuntos das atividades, com vistas a ampliar a cultura geral e a melhoria da aprendizagem dos alunos com mais prazer e alegria.

 

2 – Expandir e requalificar os espaços das próprias escolas para a educação integral com acessibilidade universal.

 

3 – Construção de equipamentos públicos em torno das escolas onde não há infraestrutura a ser cedida ou alugada na comunidade e revitalizar os equipamentos existentes. Alguns espaços utilizados hoje para o programa são incompatíveis com a garantia da qualidade das atividades por falta de opção no entorno;

 

4 – Garantir a formação continuada e melhor remuneração dos agentes culturais, de forma a atrair e manter profissionais de qualidade e priorizar a contratação do agente cultural no território escolar.

 

5 – Alteração da nomenclatura do monitor para “agente cultural”, que é mais adequada para a função exercida.

 

6 – Valorização do extencionista universitário e estreitar a relação com a equipe

pedagógica da escola, garantindo um estágio integrado com o professor das disciplinas regulares.

 

7 – Aproximar a família da escola de forma mais criativa. As reuniões tradicionais não garantem público satisfatório.

 

8 – Conhecer e difundir as pesquisas acadêmicas sobre a Escola Integrada.

 

9 – Flexibilizar a adesão dos alunos do 3° ciclo ao programa, com participação em determinadas oficinas de seu interesse.

 

10 – Garantir a participação dos alunos com deficiência, com a presença do apoio a inclusão e acessibilidade dos espaços.

 

11 – Ampliar a jornada do professor para atuar na educação integral na mesma escola, visando planejamento, integração com os agentes culturais, currículo integrado e trabalho com as famílias.

 

12 – Retomar o prêmio “Parceiros da Escola Integrada”, instituído pela Secretaria Municipal de Educação.

 

13 – Criar um grupo de discussão, coordenado pela SMED, para aprimorar o Programa Escola Integrada.

 

 

Arquivo em PDF para download
(783 kbytes)