Coral Lírico

Coral Lírico de Minas Gerais recebe diploma de Honra ao Mérito

Por iniciativa do vereador Arnaldo Godoy (PT), o Legislativo de Belo Horizonte concedeu Diploma de Honra ao Mérito ao Coral Lírico de Minas Gerais, da Fundação Clóvis Salgado, pelos serviços prestados à cultura no município. A solenidade foi realizada na noite de 2 de maio, no Plenário Amynthas de Barros, e os presentes foram brindados com apresentações do coral, na abertura e no encerramento.

Arnaldo Godoy abriu a solenidade após a interpretação do Hino Nacional pelo Coral Lírico e a leitura, pelo locutor do evento, de uma mensagem do Prefeito Marcio Lacerda, na qual elogiou o trabalho do coral e cumprimentou todos os seus componentes.

Relembrando os tempos de infância quando, ao passar pela Rua São Paulo, ouvia músicas cantadas por um coral, Godoy destacou a dedicação dos músicos do Coral e a importância do trabalho da Fundação ao incentivar e divulgar a apreciação da música lírica e outras expressões artísticas em Minas Gerais. “É importante que o povo tenha acesso à musica, pois ela é uma arte fundamental para a construção da humanidade, tornando o homem mais sensível e harmonioso”, afirmou.

O vereador defendeu a existência de outros corpos artísticos custeados pelos poderes públicos e sugeriu que o município tivesse um coral. Para ele, Minas Gerais e Belo Horizonte deveriam seguir o exemplo do Governo Federal, destinando à cultura o percentual de 2% de seus orçamentos. “Arte não é apenas entretenimento, mas também uma expressão da cultura e um modo de revisitar as tradições”, declarou.

Após a entrega do diploma à coralista Lilian Assumpção pelo autor da homenagem, assinado por ele e pelo presidente da Casa, Léo Burguês de Castro (PSDB), a secretária estadual de Cultura Eliane Parreiras parabenizou Godoy e a Fundação Clóvis Salgado por sua atuação em favor da cultura no município. “O Governo do Estado apoia o trabalho do Coral Lírico por entender que é um patrimônio artístico importante para a cultura mineira”, ressaltou.

 

Agradecimentos

O maestro Márcio Miranda Pontes agradeceu a honraria em nome de todos os cantores. Rememorando os regentes que estiveram à frente do Coral em seus 32 anos de existência, Pontes salientou a qualidade das exibições do grupo, que lhe conferiu destaque nacional. Em seguida, o músico e cantor Guilly Castro agradeceu em nome dos servidores da Fundação e citou a participação do Coral na Orquestra Sinfônica de São Paulo, na Filarmônica de Minas Gerais e na gravação de CDs.

Os integrantes mais antigos do Coral, João Geraldo de Erédia e Alírio Pereira dos Santos foram destacados com a entrega de um diploma especial. Erédia relembrou o início da carreira e a “dificuldade de se manter a partir do canto”.

O presidente da Associação dos Músicos do Coral Lírico de Minas Gerais, Paulo Henrique Campos Silva, ressaltou a importância do apoio público e privado que o grupo tem recebido e reivindicou a abertura de concurso público para novos cantores. “O canto precisa ser encarado como uma atividade profissional, na qual o coralista possa se manter a partir de sua atividade na música”, defendeu.

Reforçando a valorização e o acesso da população à música erudita promovidos pelo Coral Lírico, a presidente da Fundação Clóvis Salgado, Solanda Steckelberg Silva, comunicou que a Secretaria Estadual de Cultura irá constituir uma comissão para estudar suas reivindicações.

 

Apresentação musical

Ao final da solenidade, o grupo apresentou trechos da ópera Nabuco, do compositor Giuseppe Verdi, que foram apreciados pelos integrantes da Mesa, que incluiu ainda o Diretor Artístico da Fundação Clóvis Salgado, Sérgio Rodrigo Reis; professores e servidores da entidade, familiares dos coralistas e demais presentes.