Diário do Arnaldo de 3 a 10 de Abril.
Visualizar como página web
 
Arnaldo Godoy com o Biógrafo Lira Neto

3 de Abril - Nem só de política é feita a vida parlamentar. Principalmente de Arnaldo Godoy que sempre prestigia a agenda cultural de BH. No auditório da Cemig, uma rodada do projeto “Sempre um Papo” com o biógrafo Lira Neto, que lança “Uma História do Samba – As Origens”, primeiro volume de uma trilogia. A conversa foi rica e o autor contribui com novas informações sobre um estilo maravilhoso e que é brasileiro por excelência”, diz Godoy, autor de uma homenagem ao centenário do samba, que ocorrerá na CMBH, em 12 de junho.

Título de Honra ao Mérito ao Mestre Dunga

5 de Abril - Arnaldo Godoy concedeu o título de Honra ao Mérito a Amadeu Martins, o “Grão Mestre Dunga”, pioneiro na capoeira de rua, atividade na qual se dedica há quatro décadas. “Além de reconhecer a contribuição fundamental de afrodescendentes na cultura mineira e do país, a homenagem se soma aos esforços da ONU, que proclamou, de 2015 a 2024, a Década Internacional de Afrodescendentes. Nessa direção, farei uma reunião solene em reconhecimento às nações de religiosidade de matriz africana (9/6), homenagem ao centenário do samba (12/6) e ao Congado (9/8)”, disse Godoy, presidente da Comissão Especial que analisa o genocídio da juventude negra, na Câmara de BH.

Audiência Pública Orçamento Municipal de Cultura

5 de Abril - Em conjunto com a vereadora Cida Falabela, Arnaldo realizou audiência pública para discutir o corte de 30% no orçamento municipal da cultura, com a participação de conselheiros do Comuc, funcionários da FMC, artistas, produtores culturais e representantes da PBH. Contrário à recriação da Secretaria de Cultura, que vai gerar custos que poderiam fomentar novos projetos, Arnaldo cobrou da prefeitura uma posição clara sobre qual será a linha adotada pela gestão Kalil, para as políticas de culturais de BH. espaço vazio layout

Registro da primeira foto feita por Arnaldo Godoy.

5 de Abril – Numa manhã gostosa no início do outono, Godoy visitou o Museu Histórico Abílio Barreto, onde foi presidente. Por sugestão, resolveu fazer uma experiência — registrar sua primeira foto, misturando o céu azul, quase sem nuvens, as copas das árvores e os fios elétricos. Será que ficou bom? Só vocês poderão dizer.

Processo de eleição direta do PT (PED/2017). Na foto da esquerda, Arnaldo Godoy com Patrus Ananias e Pedro Patrus. À direita, com Nilmário Miranda.

9 de Abril – Com a proposta de retomar o diálogo com os movimentos sociais e o modelo de gestão que marcou a história da cidade, Arnaldo Godoy foi eleito presidente do PT-BH. Na votação do Processo de Eleição Direta (PED/2017) foram eleitos também os delegados estaduais com a prioridade de defesa a reeleição de Fernando Pimentel e enfrentar o governo golpista que desmonta as politicas sociais e direitos trabalhistas, tão arduamente conquistadas e ampliadas nos governos Lula e Dilma. “Conto com todas e todos para garantirmos direitos, justiça social e democracia, conquistas ameaçadas pelo golpe em curso no Brasil”, agradeceu Godoy.

Sessão Plenária - Arnaldo falando ao microfone

10 de Abril – Na sessão de segunda-feira, todos os vetos que impediam a apreciação de projetos importantes, como a reforma administrativa e revisão no Plano Diretor, foram votados pelos vereadores. No destaque, o voto de Arnaldo pelo veto do prefeito à proibição de ensino religioso nas escolas públicas municipais, que foi mantido, e o voto pela derrubada do veto do prefeito à lei que impede apresentações musicais nas praças, que, infelizmente, foi mantido. “Mas desde já me coloco à disposição para a construção de outro projeto de lei, junto com os músicos e outros vereadores”, anunciou.

Arnaldo tem sido acusado, injustamente, de inviabilizar a atividade dos músicos em espaços públicos da cidade, por conta de uma lei de sua autoria (2011), que revertia a proibição de apresentações artísticas nas praças, cujo sentido foi alterado por vetos do prefeito Lacerda. Mas há muito tem se empenhado na defesa da categoria, por meio da autoria da lei que proíbe o cercamento e venda de ingressos nas praças de BH e no trabalho que culminou com decreto que concede alvará para música ao vivo nos bares e restaurantes, desde respeitado o limite de decibéis.

Arnaldo Godoy

Enviado por Arnaldo Godoy

Avenida dos Andradas, 3100 Gab. 305 B - Santa Efigênia - BH - MG - 30260-070

Se deseja não receber mais mensagens como esta, descadastre-se.