Diário do Arnaldo - De 02 a 08 de maio
Visualizar como página web
Diário do Arnaldo
15 de setembro - Circo

2 de maio– Na audiência pública para tratar da situação dos gestores administrativos e financeiros da rede de educação, ficou claro que a extinção do cargo de gestor escolarcriou incertezas, pois o projeto de lei nº 442/18 não define quem gerenciará o caixa escolar. A maioria dos diretores não apoia a medida, pois o caixa escolar toma muito tempo e vai comprometer funções essenciais de dirigir a escola. "Uma das soluções surgidas é alterar o PL para que o cargo de gestor seja mantido, com autorização para gerenciar o caixa escolar, ainda que sejam funcionários públicos", sugere Arnaldo Godoy, membro da Comissão de Educação.

13 de setembro - Escola Inclusiva

3 de maio – A reunião especial que homenageou os 30 anos da Luta Antimanicomial, presidida por Arnaldo Godoy, foi uma cerimônia marcada por manifestações contra o golpe que ameaça a democracia brasileira. O movimento surgiu no estertor da ditadura para romper com os padrões de exclusão e violência institucionalizas e inaugurar uma nova trajetória na reforma psiquiátrica brasileira. Foram homenageadas as mulheres símbolo em Minas — Ana Marta Lobosque, Marta Elizabeth de Souza, Míriam Abou-Yd, Rosimeire Aparecida Silva (in memorian, representada pela sua mãe), além da Associação dos Usuários dos Serviços de Saúde Mental (Asussam/MG), o Suricato e o Fórum Mineiro de Saúde Mental, representados por Paulo Reis, Sílvia Soares e Eliane Morais. Houve ainda a intervenção musical do conjunto "Trem Tan-Tam". "É bom lembrar como opera qualquer golpe contra a democracia, retirando direitos de muitos e blindando uns poucos privilegiados, até que autoritarismo esteja consolidado. Então retornam os manicômios, uma estrutura imprescindível nos mecanismos de opressão. Mas vamos resistir, em nome de construir uma sociedade que respeite as diferenças e a diversidade, mais democrática, inclusiva e igualitária", pontou Godoy.

19 de setembro - Semana Paulo Freire

3 a 5 de maio – Arnaldo Godoy participou da Conferência Estadual de Educação/2018, um bom debate sobre a garantia de direitos e de políticas inclusivas. "Para obter avanços é fundamental o retorno da democracia no Brasil e a participação de entidades representativas e populares", destacou. A conferência foi encabeçada pelo Fórum Estadual Permanente da Educação de Minas Gerais, que reúne instituições de ensino, gestores públicos e movimentos sociais. O eixo principal foi a construção de um sistema educacional que integre as ações dos municípios e do estado.

19 de setembro - Semana Paulo Freire

2 de maio - Uma audição com a secretária de Políticas Urbanas, Maria Caldas, tratou das pessoas com deficiência que atuam como camelôs no Centro da cidade. A reforma do Código de Posturas abriu a possibilidade de que apenas pessoas com deficiência possam atuar nas ruas, enquanto os outros camelôs irão para os shoppings populares. "Achei interessante a proposta da PBH de abrir quase 200 vagas, com a instalação de mobiliário adequado nas esquinas, com grades de proteção e acessibilidade. A ocupação seria feita por duplas, sendo um dos camelôs com deficiência visual", avaliou Arnaldo Godoy.

20 de setembro - Feira de Artesanato

5 de maio - No ano passado, Arnaldo Godoy indicou Makota Celinha para receber a comenda do GrandeColar do Mérito Legislativo Municipal, em virtude de seu trabalho de coordenação do Centro Nacional de Africanidade e Resistência Afro-Brasileira (Cenarab). Mas diante da notícia de que o orador oficial seria o prefeito higienista de São Paulo, João Dória, ambos combinaram não participar da cerimônia. A entrega da medalha ocorreu no último sábado, na sede do Cenarab/MG. "Makota Celinha é um símbolo da luta pelo reconhecimento da contribuição do negro na cultura e na arte brasileira; na construção do país e de sua democracia, por meio de todos o movimentos de resistência. Me deu muito orgulho entregar essa comenda", disse.

21 de setembro - Audiência Pública UMEI`s

7 de maio - A "Segunda democrática" com Maria Rita Kehlsuperou as expectativas, já que ela é uma das psicanalistas mais conceituadas no país. O tema foi "O Golpe e seus Fantasmas: o Brasil e o sentimento de seu povo". Contudo, o espaço não comportou o público. Muita gente ficou de fora, por conta da lotação limitada. A próxima "Segunda Democrática", será com a jornalista Tereza Cruvinel (18 de junho). "Aproveito para agradecer mais uma vez a Maria Rita Kehl, que generosamente veio a BH para contribuir com um debate fundamental nesses tempos sombrios", destacou Godoy. Quem não pode ir ou ficou do lado de fora, disponibilizamos o vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=xoF99b5RDHo

Arnaldo Godoy

Enviado por Arnaldo Godoy

Avenida dos Andradas, 3100 Gab. 305 B - Santa Efigênia - BH - MG - 30260-070

Se deseja não receber mais mensagens como esta, descadastre-se.